Calma! Respira que hoje ainda é um novo dia

Isso, respira. Mantém teu equilíbrio no que realmente importa, coloca alegria nas pequenas coisas, mas permita-se viver as grandes também. Vai lá, abraça o mundo e diga pra si que não é tão difícil assim assumir as rédeas que a vida tanto cobra. Brinca de viver e não carrega tudo simplesmente por querer nas tuas costas. Isso machuca. E lembra de sorrir mais das bobagens que idealiza, mas permita silêncios pontuais de sua vivência. Porque olha, que hoje ainda é um novo dia.

A gente coleciona momentos – e lembretes, como: perder a hora de vez em quando não faz mal, só não deixa isso fazer parte de ti. Mas, também, olha pro relógio e não certifique-se de atender toda e qualquer notificação do celular, é sério, o coração de vez em quando precisa relaxar. E quando falo relaxar, é permitir-se calmo diante de algum obstáculo a tua frente, mas que você, sem perceber, transformou em algo que supera facilmente.

Explora tuas facetas e lembra de trocar as maçanetas, porque a casa é nova e outras pessoas passaram por aqui, nesse canto e na sua vida. Elas vieram e deixaram e levaram um pouco de nós, mas, também, deixaram e levaram um pouco deles. Portanto, permita-se ser quem bem entender. Sofra, sorria, chore, fique calado e comunique-se (com o coração).

O mundo não pára, segue seu ritmo, meio louco eu sei, mas aqui e ali te oferece coisas bacanas de serem vividas. Coisas essas que te dão lições valiosas pro seu aprendizado, como costurar uma camisa e desentupir o ralo, limpar o quarto e juntar os cacos.

E calma, não precisa ir vislumbrado querer vivenciar tudo, apenas uma revolução por vez, sem pressa, porque a vida aqui é assim: uma hora estamos por cima, outrora por baixo. E vamos reinventando novos capítulos da nossa história.

cafesobreotatame
Quantas pausas pro café você já fez?

Ame o amigo, perdoe o coração alheio, cuida da família, permita-se chorar, mas não esqueça: coração bom é aquele que reconhece quando quer apenas amar.

E se ficar se perguntando do ontem ou do amanhã, calma, que hoje ainda é um novo dia. O momento certo para recomeçar.

Relacionados

A última declaração de amor que recebi Entre chegadas e partidas, tantas despedidas. Amor que era migalha e ceia farta ao mesmo tempo. E do grande amor da minha vida, além da dor, ainda me restaram pequenas lembranças e a saudade de quem eu era quando amava. Remexendo os e-mails, encontrei uma conversa salva, onde na última mensagem você...
O que Florentino Ariza nos ensina em “O Amor nos T... Considero livros e leituras algo muito pessoal. Leio uma pequena dezena de livros ao ano e normalmente converso sobre eles com pessoas específicas. Mas “O Amor nos Tempos do Cólera”, do meu insuperável e fantástico Gabo , precisa ser refletido de um jeito mais amplo. Isso porque além de órfã depois ...
Deixa eu me distrair e sem ter o que esperar Toda vez que vejo os rabiscos do bloco de notas que mistura lembretes, dizeres e poemas inspirados nos ônibus que pego na corrida diária, me pego pensando naquelas vezes que deixei rolar momentos que toco aquela música ou apenas tento traduzir esse sentir que habita em ti. Em meio a isso, vejo que...
Para Fábio: “Não importa onde estamos nossa ... Fábio passa aquela faixa oriental na cabeça e veste seu kimono. Parece que ele vai lutar - ou talvez vá, mas a roupa é porque ele vai começar mais uma noite atendendo desconhecidos no restaurante japonês que trabalha de terça a sábado. E hoje ainda é sexta. Este poderia ser Fábio, mas poderia ...