Conheça Terix, o cão mochileiro que irá dar a volta ao mundo em três anos

Pense em um cão com o espírito aventureiro, curioso e, no primeiro momento, de uma desconfiança sem tamanho? Pois é, esse é o Terix, um cão que, junto com o seu dono, o Jonas Fernandes, entrou em uma aventura de causa uma inveja: dar a volta ao mundo pelos próximos três anos.

12822127_537243683115312_532790350_n
Este é o Terix. (Foto: Jonas Fernandes – Arquivo pessoal)

Conversei com xará Jonas Fernandes durante sua passagem por São Luís e, por cerca de meia hora, ele me explicou como surgiu essa ideia, o planejamento e sobre a sensação de uma jornada desse porte.

Há cerca de dez meses atrás o Jonas, estimulado por amigos, resolveu fechar o hostel que tinha em Búzios, no Rio de Janeiro, e cair na estrada de moto. O que poderia ser uma viagem solitária, logo se tornou uma aventura divertida pra cachorro (olha o trocadilho aí! rs).

12804345_537243636448650_2035637367_n
Em algum lugar do Brasil (Foto: Jonas Fernandes – Arquivo pessoal)

Jonas já tinha contato com o cãozinho Terix pelo fato de ele viver no hostel e sempre acompanhar viajantes nos momentos de lazer andando de bugre e Stand Up Paddle nas praias de Búzios. Como o hostel era quase um lar pro animal, Jonas resolveu levá-lo e adaptou toda sua moto para conforto e segurança pro Terix.

As viagens são sempre em horários que o sol está mais ameno, ou seja, no início da manhã ou no fim da tarde, com a velocidade em média de 60 a 80 km/h.

Ao longo de dez meses eles já percorreram mais ou menos dez mil quilômetros e conheceram lugares incríveis do Brasil como a Chapada da Diamantina e os Lençóis Maranhenses.

12435860_537244219781925_729220855_n
Terix e Jonas nos Lençóis Maranhense, no Maranhão. (Foto: Arquivo Pessoal)

O esquema de alimentação e hospedagem é todo por conta do animal que, em troca de permuta, oferece uma divulgação da aventura do pequeno cão por meio de uma página no Facebook e que em breve irá ter um portal próprio.

Durante sua estadia em São Luís, Jonas confessou admirado com a beleza do Centro Histórico e encantado com as belezas dos Lençóis. E que daqui irá partir para Alcântara – cidade que tem a base de lançamentos de foguetes – e depois Pará, Manaus e partirá rumo ao Peru.

Apesar dos momentos de cansaço e exaustão, Jonas se mostra entusiasmado ao viver uma aventura dessa ao lado do Terix. Viajante de corpo e alma, ele já visitou vários lugares do mundo e encara de peito aberto a oportunidade de ter um fiel companheiro nesta empreitada.

Será uma jornada longa, mas com certeza inspiradora e cativante ao ver um pequeno ser sentir-se cidadão do mundo e a cada lugar, transformando em seu lar.

IMG_7030 - Cópia
Registro após a conversa boa que tive com o xará, Jonas Fernandes e o Terix na garupa da moto. (Foto: Daniel Moraes)

Se quiser conferir as aventuras e lugares que eles passaram e irão passar ainda, é só conferir a página deles no Facebook clicando aqui!

Relacionados

O que é que Salvador tem? Primeira viagem do ano, primeira vez que faríamos de outro lugar um lar temporário. Sentamos e conversamos com nossa jovenzinha interior e discorremos sobre os prós e os contras de se estar sozinha em outra cidade. A bichinha, tinhosa toda, teimou numa ansiedade sem fim até o dia de partir. Voamos, ...
Ilha do Medo, Morros e Alcântara: três lugares par... https://www.youtube.com/watch?v=xsg1CtobxvM Há umas duas semanas atrás eu resolvi fazer algo que vinha adiando há meses: dar uma geral nos arquivos do cartão de memória da minha GoPro. E eis que ao fazer isso, tive uma grata surpresa e que levou ao título (e ao vídeo) ali acima. E, pensando nisso...
Cinco amigas, um carro viajante e um nordeste muit... Fevereiro. Passagens compradas. Hora de organizar uma daquelas viagens que iria ficar na memória, cheio de amor, cor e natureza. Maragogi, Alagoas. Um dos meus planos de 2016 era fazer uma viagem com minhas amigas de infância, aquelas que têm me acompanhado desde os tempos áureos do primário. Cê sab...
Vídeo mostra o choque tradicional e moderno do Jap... Morei no Japão por um ano. Meus pais foram para lá quando eu ainda era um bebê e, aos 9 anos de idade, fui parar lá depois de uma conversa informal com a minha mãe pelo telefone (na época internet não era um luxo tão simples assim). Em um ano, estudei com os anfitriões, aprendi (apesar de hoje estar...