E se a vida não fosse uma loteria?

Ultimamente tenho parado pra pensar em como anda a vida e percebi que diminui minhas idas à praia para curtir o pôr do sol e comemorar as pequenas conquistas diárias que nossa jornada nos proporciona. Se você parar pra pensar, achamos que algumas coisas que foram muito importantes para nós em algum momento de nossas vidas, hoje não passam de bobagens

Você lembra, por exemplo, como seu coração batia rápido quando foi fazer a prova para tirar a carteira de motorista? Quantas vezes esse sentimento vem à sua mente? E qual foi a primeira reação quando soube que alguém estava tirando essa bendita carteira de motorista? Bem, posso falar pra vocês que as minhas reações eram recheadas com uma indiferença, seguidas de uma afirmação em minha cabeça: Moleza!

Essa habilidade que temos de desprezar as pequenas coisas, tanto nossas quanto de quem nos cerca, é apenas um sintoma de que esperamos ter uma grande vitória, que só ficaremos felizes quando cruzarmos a linha de chegada, isso é que o chamo de “ganhar na loteria”. Percebi que essa maneira “all in” de viver acaba por tornar tudo muito pesado, como aquela viagem de carro que nunca acaba quando estamos focados apenas no destino.

Querido e atento que leu este texto até aqui, queria te dizer que existe uma jeito bem mais simples e leve de viver a vida. Eu carinhosamente venho chamando de “pequenas vitórias’. E em momento algum quero dizer que você não deve buscar o seu amor, ou amores, a sua carreira, ou carreiras ou sorrisos. É mais uma questão de dizer que as grandes vitórias ou fim de cada jornada, se preferir, são formadas pelas pequena vitórias, por apreciar o caminho que você tem que percorrer para chegar aonde você quer chegar. Enfim, a vida não é uma loteria, você não terá apenas uma vitória, e não será na sorte. Será por que você soube aproveitar o caminho.

Pra finalizar deixo uma pergunta para você: quando foi a última vez que você parou pra ver o pôr do sol?

Relacionados

“O amor, assim como a arte, deve sempre ser ... A busca do equilíbrio, seja ele profissional, pessoal, sexual, afetivo, espiritual ou familiar, é considerado por vezes sagrado, mas para alcançá-lo precisamos ter um conhecimento profundo de quem somos e compreender a verdadeira realidade das nossas emoções, ações e situações, dos nossos sentimento...
Você pratica o amor ou apego? Vendo esta pergunta assim de primeira, eu tenho quase certeza que você vai disparar algo do tipo: Claro que pratico o amor! O problema é que o mundo que anda hostil e as pessoas cada vez mais individuais, e a gente acaba se blindando, se fechando e com medo de viver de peito aberto praticando o “amo...
A gente pode até não saber o que quer, mas temos c... Era como um sentimento que abusava, ditava e assombrava as vezes que me sentia um menino. Perdido, enfeitiçado e embriagado de tanta dor que só de lembrar, sabia as artimanhas que usava e mentiras que contava para disfarçar as cicatrizes presentes em cada canto escondido do coração. Se eu me punia? ...
Bem-vindos ao Clube, somos gente como a gente Quando iniciei essa ideia de dar vida por meio das palavras, foi algo meio sem jeito, mas carregado de sentimentos e ideias afim de compartilhar coisas que incrivelmente parecem ser banalizadas por aí e o quão nossa incompletude é inerente e responsável por essa experiência intitulada vida. Mas não ...