Pessoas que Inspiram #4: Dona Conceição e uma história de vida

conceicaosobreotatame
Serenidade no olhar e uma história de vida para contar. (Foto: Ingrid Barros)

No dia da ida à Capela de São Pedro, em São Luís, enquanto esperava o ônibus para ir pra casa de uma amiga, uma senhora muito simpática se aproximou. Vinha da casa de sua irmã, que mora próximo à Praça do Letrado, no bairro do Vinhais. Com ela, havia assistido a novela enquanto comia bolo com café. Logo quando chegou, avistou no banco da parada de ônibus uma garrafa quase vazia de água, deixada por um garoto que acabara de sair. Pegou a garrafa, lavou suas mãos com o restinho de água e reclamou sobre a necessidade de colocar o lixo no lixo. Disse que ficava horrorizada quando via bitucas de cigarros jogadas no chão, inclusive na nossa praça. Mas tudo isso de uma forma muito humilde e suave. Eu comecei a prestar atenção. Enquanto isso, um cara em um carro passou na nossa frente, quase parando e ficou me encarando. “Ainda bem que ela estava lá!“, pensei. E ela com muito humor o encarou de volta, que logo saiu. Ela começou a rir, lembrando dos seus tempos de jovem. Começou a me contar da sua época de ensino médio, quando, por vezes, alguns moços ofereciam caronas. Disse que naquele tempo não era essa violência que é hoje, uma vez que agora não pode mais se confiar em ninguém. Nem em taxista. Ou mototaxista. Confessou que morre de medo de pegar ambos. Mas que antes, bem, antes elas e as amigas chegavam a conhecer viajantes na praia e fazer belas amizades. Era uma época boa, relatou ela. Emendou dizendo que a questionam se ela ainda namora. Ela disse “ora se não“. Disse que sempre falam a ela que ainda possui aparência de jovem para idade que tem, 79 anos, se me recordo. Seu marido morreu cedo. Aproximadamente aos 50 anos, não me lembro a idade exata. Nem a doença. Mas segundo o relato dela, foi por causa da bebida. Por isso que hoje ela não quer namorar ninguém que beba muito. A não ser que tenha o “TCHAM“, mas se não tiver o “TCHAM“, então nem vale a pena o esforço. Descarta logo. Falou que não tinha filhos. É estéril. O marido também era. Porém parece não lamentar, pois corria o risco de beber como o pai, já que o marido bebia como o pai. Disse que só quem teve filhos foi a irmã. E que uma mora nos EUA. Outra morreu aos 5 anos. Doença rara. Contou que era uma criança linda. Perguntei se poderia tirar uma foto. Havia gostado da sua espontaneidade. Seu jeito de falar. Simpatia não gratuita, mas sincera! Seu sorriso. Seus olhinhos pequenos que “todo mundo diz que ela quase não tem rugas e que então iria desenhar algumas“. Ela aceitou. Riu um pouco. Então eu cliquei. Conceição é o seu nome. Achei que combinava. Conversamos algumas outras coisas que eu não lembro agora. Era pra eu ter gravado, mas confiei na minha memória. Ela sempre falha. Lá vem o Vinhais-São Francisco, entramos, dei tchau, atravessei a catraca. Mas provavelmente ainda vou encontra-lá pelo bairro. Dona Conceição, figura conhecida.


_______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Pessoas que Inspiram é um quadro que tem como objetivo contar histórias de pessoas do cotidiano, que tem uma história de vida e, as vezes, é esmagada com a avalanche de pré-conceitos, olhares, julgamentos, mas, que na verdade, esconde uma história de vida que pode se assemelhar com a minha ou com a sua. É um quadro que visa buscar empatia. Até porque, temos que respeitar cada pessoa que olhamos nas ruas.

Relacionados

Amor de mãe, Rapper gay, nos aceite, Magra de Ruim... Maio foi de algumas boas novidades nos bastidores aqui do nosso espaço. Mais pessoas entraram para somar porque acreditam no nosso propósito e em breve darão as caras por aqui, mas você pode conhecê-los um pouco aqui na página de autores. Para o mês de maio trouxemos entrevistas, histórias de pes...
A viagem de Leo e Diana: casal roda o mundo gravan... O casal largou tudo e iniciou uma viagem ao redor do mundo desde 30 de março de 2015. A viagem rendeu várias histórias, ideias e, é claro, grandes obras-primas em formato de videoclipe. Uma imersão musical. Assim definem o casal Leo Longo e Diana Boccara sobre o projeto Around the World In 80 Music...
Pessoas que Inspiram #2: César e 4 anos com sua ba... Levantei hoje com o objetivo de cortar o cabelo. Tomei café e fui ao banco. Já na fila do banco gastei uns 40 minutos presenciando confusões, bate-boca e muita paciência, mas consegui sacar a grana pro corte. Chego na barbearia e falo com o Edison (que terá sua história em breve por aqui), o meu bar...
Pessoas que Inspiram #1: Dona Irene e 13 anos de G... Dona Irene tem um quiosque em que vende guaraná da amazônia e encara sua noite de trabalho com educação no atendimento e ganha sua clientela com atenção a preparar cada pedido. Mas, recentemente, depois de um papo de vinte minutos, descobri uma história de sabedoria e alegria com ela. Prazer, ...