Pessoas que Inspiram #5: Jaana Pinheiro, uma transformadora social

Texto da Monique Moraes, do projeto Su Causa Mi Causa, especialmente para o Sobre O Tatame.

Nordestina. Maranhense. Designer. E uma Transformadora Social em contínua construção. (Foto: Laíza Amorim)
Nordestina. Maranhense. Designer. E uma Transformadora Social em contínua construção. (Foto: Laíza Amorim)

Eu conheci Jaana em 2012, nessa época, ela era Capitã do Imagina na Copa, um projeto para divulgar iniciativas que estavam transformando o Brasil. E transformação já era uma palavra muito presente no vocabulário dela, desde os primeiros movimentos que ajudou a realizar na universidade, no seu curso de Design.

Mas o pontapé inicial dessa jovem designer aconteceu em 2009, na organização de um evento acadêmico, na UFMA. Ela diz que esse foi um marco, o momento onde compreendeu que dá para mobilizar pessoas através de uma causa comum. Desse ano em diante, ela não parou, passou a se engajar cada vez mais em ações na universidade e em projetos que visavam impactar positivamente a sua cidade (São Luis-MA).

Trabalhar no campo do social (terceiro setor), não costuma ser um pouco fácil, muito menos quando você está migrando de sua área de atuação original. Então, ‘sair’ do design, na sua forma mais crua que o mercado enxerga, para atuar com projetos sociais, não foi uma tarefa fácil para Jaana. Foi preciso se arriscar e aprender novas habilidades, isso a levou para o  Imagina; a ser Multiplicadora do LabX (da Fundação Estudar); a fazer trabalho voluntário no Egito; trabalhar no interior do Maranhão em um projeto do ISES (Instituto de Socioeconomia Solidária) e mais recentemente de volta à São Paulo para fazer um programa de Inovação Social do Amani e trabalhar em um projeto no Atados. E deve haver outros muitos feitos, que não consigo lembrar agora, porque ela tá sempre em movimento.

E por que você precisa conhecer alguém assim? Tenho três motivos!

Primeiro motivo: Ela pode te ajudar a compreender teu propósito.

Jaana está se construindo há anos na área social, buscando capacitação, atuando diretamente por meio de projetos, mobilizando redes de contatos e empreendendo. É o tipo de pessoa que não parou depois de ter descoberto qual seu propósito, continua na luta diária para realizar aquilo que se propôs.

São oito anos em um processo de (des)construção incessante, para que habilidades fossem melhoradas e conhecimentos pudessem ser transformados em iniciativas. Então, pode ter certeza que de propósito ela entende.

Segundo motivo: Ela pode te falar como enxerga o design no setor social

Provavelmente, ela não vai te encher de teorias ou verdades, mas vai compartilhar contigo processos, mecanismos e ideias aplicáveis. Até porque a própria essência do design é fazer acontecer, tudo na prática.

Terceiro e mais importante motivo: Ela quer gerar transformação (mais do que já fez/faz e almeja fazer)

Esse motivo tem ligação com o próximo passo que ela quer dar, tem ligação com você (caro leitor) e é o que me fez escrever esse texto.

O próximo passo é se tornar uma agente de transformação social no Maranhão. Isso na verdade ela já é, no entanto, como você percebeu essa garota não fica parada, por isso, se candidatou para participar da Formação do “Guerreiros sem Armas”.

Na noite de ontem (5) ela fez uma Live explicando o “Guerreiros sem Armas”:

O Guerreiros é um: “curso internacional em liderança e transformação social que reúne 60 pessoas de diferentes países que buscam transformação e querem ser parte dela. A partir da interação com uma comunidade, onde o saber compartilhado de todos é a base para se construir sonhos coletivos. Além de aprender a Filosofia Elos, uma linha guia para transformar pessoas e relações em qualquer contexto social”.

A ideia dela é agregar todo esse conhecimento da formação que vai receber, para realizar ações no Maranhão. Eu não ficaria admirada se depois ela rompesse as barreiras geográficas desse sonho, porque não duvido nada de quem sai da sua casa, estado e zona de conforto para ir ao outro lado do país, com a intenção de aprender e gerar mais impacto.

No entanto, alguns sonhos precisam de investimento financeiro, por sorte existem aqueles que acreditam em pessoas como ela, e creem que vale a pena impulsionar propósitos assim. Então, finalizo esse texto com um convite, se você também acredita em pessoas como Jaana, chega aqui nesse link e dá uma contribuição no financiamento coletivo do sonho dela.

Ajude-a a realizar esse sonho. 🙂 (Foto: Arquivo pessoal)

Para quem tem mais vontade de saber ou curiosidade sobre a Jaana, Design no Terceiro Setor, propósitos e transformação, pode chamá-la para um papo nesse e-mail aqui: jaanapsilveira@gmail.com ou no seu perfil no Facebook


E a Jaana fez parte de uma reportagem em dezembro passado sobre o Balaio de Resistência, um feira de economia criativa. Relembre:

Relacionados

Mercado do Peixe, Observar e Absorver, entrevistas... Agosto marcou presença como tradicionalmente um mês pra lá de devagar pra passar, concorda? Mas tentamos manter o ritmo e qualidade nos materiais que demos vida por aqui. E assim o fizemos. Abaixo deixo um resumo do que rolou durante o mês que passou para você. Além disso, conseguimos manter o núme...
Dia da Mulher, cão viajante, ansiedade, empatia, O... Retomamos às atividades no mês de março, meio sem jeito, mas com vontade de escrever, compartilhar e informar. Para este primeiro mês, tivemos 21 posts, uma média de 4,2 conteúdos por semana. Uma média que considero FODA uma vez que não tenho como objetivo "vomitar" materiais com a ideia de manter t...
Vencer na vida, um nordeste azul, São João do Mara... Sendo bem direto: junho foi do caralho por aqui. Tivemos quase 12 mil visitantes. Sim 12k!! E isso nos deixa deveras animados, porque é um gás de que estamos no caminho cerco e agregando informações boas por aí. E, para resumir bem, esse post compila tudo que rolou de bom no mês de junho aqui no ...
Para o dia internacional da mulher: dê respeito Porque ela tem a mesma condição que você, cara. A condição humana de realizar sonhos e ser capaz de protagonizar momentos que nós nem sonhamos. Pro Dia Internacional da Mulher não vem aqui um texto sentimental, recheado de dizeres que mostra a faceta que é o universo feminino. Pra essa data, o re...