“querida afilhada”, um texto pra ela ler daqui uns anos

O que dizer para um ser tão pequeno neste mundo louco e igualmente fascinante?

Bom, sei que você ainda está aprendendo a falar, mas já sabe brincar, sorrir, reclamar e ficar zangada, bem zangada mesmo. Mas, são palavras de um tio que, quando recebeu a notícia que seria seu padrinho, entendeu o recado de cara, então saiba que te amo e que tenho com você a experiência de ensaiar para ser pai algum dia. Por que padrinho não é somente para presentear, é ser isso e outras coisas mais simples e sinceras.

Bom, vamos lá.

Você tem pais incríveis e que te amam incondicionalmente. Ame-os e briguem sempre que os assuntos instigarem opiniões diferentes, sobre os mais variados temas – só não vale falar mal do MetallicA, banda que eu e seus pais somos muito fãs, belèze? –, mas sempre os respeite. Aliás, respeite tudo e todos. Tudo porque a natureza é muito generosa conosco, e todos porque cada pessoa que você olhar na rua tem uma história de vida formada por alegrias e tristezas.

Quando você estiver mais velha, eu não sei, mas, hoje, poucas pessoas sabem a diferença entre julgar e opinar, portanto, não julgue ninguém e opine sempre que for necessário. Saiba, também, que é muito fácil perder a cabeça e se entregar para sentimentos ruins. E que algo ruim sempre pode acontecer, mas encare isto de frente, tire lições e garanta graus a mais de conhecimento no seu horizonte. A vida é boa, acredite.

Equilibre sua mente e seu corpo, encontre um esporte que curta muito, escute músicas que tirem você deste plano por alguns minutos, assista a muitos filmes e leia absolutamente tudo, valorize os amigos e a família, beba de vez em quando em botecos da vida e desfrute dos amores momentâneos. Ame seu trabalho e não tenha medo da mudança, mas respeite o medo, ele é uma forma de manter os pés no chão.

foto

Afilhada, essas são algumas ideias e palavras para você e espero que me procure, futuramente, para trocarmos uma ideia na brisa do mar, andar de Slackline e te explicar as diferentes formas de amar na vida.

Fica tranqs que, além dos teus pais, eu estou cuidando de ti também, esta carta é para você, portanto, quando receber, me avisa.

PS: Texto originalmente postado no blog da minha Izabel Almeida e sua trupe, que tem como objetivo criar posts como fossem cartaz para pessoas, situações, lugares e coisas do cotidiano. Para conferir é só clica aqui: Quando receber, me avisa!

Relacionados

Deixa eu me distrair e sem ter o que esperar Toda vez que vejo os rabiscos do bloco de notas que mistura lembretes, dizeres e poemas inspirados nos ônibus que pego na corrida diária, me pego pensando naquelas vezes que deixei rolar momentos que toco aquela música ou apenas tento traduzir esse sentir que habita em ti. Em meio a isso, vejo que...
Dobrei a ponta da página que conta a parte sobre n... Fiz isso para marcar um ponto em que inaugurei um capítulo da minha vida intitulado: sintonia. Somos meio a moda antiga, porque é engraçado quando trocamos SMS, compartilhamos algo que lembra o outro e cantarola aquela música juntos mesmo em tons desafinados. Preciso nem citar aquela vez dos três...
Como se conta a memória de um amor? Foi o que você me perguntou ontem. E eu realmente fiquei pensando sobre aquilo. Nos últimos três dias eu não dormi, porque eu não queria perder um minuto sequer do teu lado, do cheiro, queria gravar na minha memória, falha, todas as marcas do teu rosto, o toque suave da tua barba, a tua pele quente...
Sim…você precisa de um apocalipse zumbi Lembram do post em que sugeri que vocês "precisavam" de um festival? Pois é. Eis que surge mais um texto de "sugestão". Desta vez, a partir de reflexões que tive assistindo algumas produções audiovisuais. Entre elas, Fear the Walking Dead, um prequel da famosa série de zumbis The Walking Dead - qu...