QUINTA SOBRE MÚSICA #5

Poder ver o Lollapalooza Brasil 2015 de perto foi um presente que não sai da mente. Por mais que estivesse cheio de artistas mais recentes, como Young The Giant e Alt-J, não faltaram referências às décadas passadas – vide a apresentação tribal e cheia de excelência de Robert Plant. Sobre estas referências, vou citar algumas que me fizeram pensar duas vezes se gostava mais da original.

1 – Fitz & The Tantrums – Sweet Dreams (Are Made of This)

Há 30 anos, o grupo britânico Eurythmics lançaria uma balada que persistiria por várias décadas em todas as baladas do planeta. A banda de indie pop Fitz & The Tantrums soube recriar bem a canção e colocá-la no mesmo setlist que inclui faixas tão dançantes quanto, como “Out Of My League” e “The Walker”. Michael Fitzpatrick e Noelle Scaggs dividem os vocais desta releitura que conseguiu por, ainda, mais gingado e groove que a faixa original. Ouve aí!

2 – Bastille – No Scrubs

O Bastille, projeto solo do cantor e compositor Dan Smith, já fez mais covers do que você pode imaginar deste grupo que surgiu em 2010. De lá pra cá, ela já: remodelou “Private Dancer”, de Tina Turner na canção “Free”; transformou “Thinkin Bout You”, de Frank Ocean, em “Thinkin’ Ahead”; e tirou todos do agito de “The Rhythm of the Night”, do Corona, para  cair na balada açucarada de “Of the Night”. No Lollapalooza, a canção “No Angels”, versão de Dan para “No Scrubs”, do TLC, me arrebatou nos primeiros versos. Ele retirou o apelo pop e pôs um tom mais dramático e melódico, já característico de suas faixas – a canção, em sua versão original, conta com a participação da cantora Ella Eyre.

3 – Kasabian – Praise You

O fim de tarde do dia 28 de março de 2015 tem um sabor especial na minha memória. Quando o grupo Kasabian subiu ao palco, já sabia que aquela apresentação seria memorável. A certeza se tornou mais forte quando o tecladinho de “Praise You”, uma das faixas mais celebradas do Fatboy Slim, começou a ecoar naquele entardecer. Fui pego de surpresa. Duas vezes. A segunda vez foi no mash-up dessa faixa com “L.S.F. (Lost Souls Forever)”, canção lançada pelo próprio Kasabian há mais de dez anos e, de longe, a minha favorita deles. Versão classuda.

Menção honrosa – O show mais louco do Lollapalooza Brasil 2015 contou com uma das versões mais inesperadas para uma apresentação que remava pro lado oposto da faixa original. O DJ Skrillex conseguiu colocar todos para dançar ao som do tema de O Rei Leão. Isso. Mas, é claro, com bastante dubstep.

Relacionados

Você conhece o Festival Internacional de Cinema Un... (Foto: Arquivo / MOV 2014) Há mais ou menos uma semana, um grande amigo esteve em Recife e suas expectativas acerca da capital pernambucana foram atingidas. Em meio ao êxtase de estar em um local desconhecido, que ao mesmo tempo nos traz uma nostalgia gostosa, ele me disse que o Recife “é incrív...
Ilustrador faz releitura de cartas de Tarô com tem... O jovem ilustrador, designer e músico Pedro Indio Negro, 21 anos, cursa Comunicação em Mídias Digitais pela Universidade Federal da Paraíba, fez uma releitura das 22 tradicionais cartas de tarô (ou tarot) com a temática nordestina e a gente tem a honra de apresentar aqui em primeira mão! De acordo ...
Quinta sobre música #7 Há algumas semanas, tive a oportunidade de conhecer um pouco do gosto musical da Lari Reis, uma das leitoras daqui do Sobre O Tatame. E, reciprocamente, ela conheceu o meu - que rendeu até post no blog dela, no Yellow Ever Shine. O post de hoje é um pouco do gosto musical dela - mas, não necessaria...
Made in Maranhão: conheça os maranhenses que estão... Algumas histórias de um Maranhão lutador Na segunda-feira (08/08) o mundo conheceu – e o Brasil se emocionou- com Rafaela Silva, uma atleta de judô que conquistou o primeiro ouro para o Brasil. Eu já acompanhava a história da Rafa desde os jogos de 2012 em Londres, onde Ana Paula, a camisa 9 da sel...