Quinta sobre música #7

Há algumas semanas, tive a oportunidade de conhecer um pouco do gosto musical da Lari Reis, uma das leitoras daqui do Sobre O Tatame. E, reciprocamente, ela conheceu o meu – que rendeu até post no blog dela, no Yellow Ever Shine.

O post de hoje é um pouco do gosto musical dela – mas, não necessariamente o que ela houve hoje em dia, mas, sim, aqueles artistas (ou canções) que fizeram que ela gostasse ainda mais de música.

Esta ideia surgiu em um dia de reflexão meu em que lembrei das três canções que me fizeram seguir pelo caminho da música – ao menos, escrevendo sobre haha. Enquanto o meu post não vêm, se liguem nas influências musicais da Lari Reis.

1) Faroeste Caboclo, do Legião Urbana

“Os meus primos (a maioria) são mais velhos do que eu e Legião foi bem mais a geração deles do que a minha. Vira e mexe via eles se juntando numa roda com violão para cantar Faroeste Caboclo e era simplesmente incrível para mim ver uma galera sabendo cantar uma música tão longa e com uma letra que me parecia tão intrigante e aberta à imaginação.

Essa foi uma das primeiras letras que eu pesquisei e imprimi para ficar lendo por horas até decorar e eu sei cantar até hoje, rs! Fato é que ouvir e “estudar” essa música me fez querer conhecer mais do universo musical e me despertou o desejo (ainda não cumprido) de aprender a tocar violão também”.

2) Come as you are, do Nirvana

“Nirvana é, sempre foi e sempre vai ser minha banda favorita. Ouvi pela primeira vez quando tinha mais ou menos 10 anos e comecei com o pior álbum dos caras, Nevermind. Como Kurt é um dos meus humanos favoritos, sempre gostei de pesquisar tudo o que ele gostava de ouvir, ler, fazer e etc. Foi assim, então, que o Nirvana me levou a conhecer muitos outros artistas e ampliar minha playlist na vida”.

P.s: o blog não compartilha da mesma opinião sobre Nevermind. Que fique claro. Hahahaha

3) Learn to Fly, do Foo Fighters

“É quase que óbvio que Nirvana me levou a Foo Fighters, né?! Mas, a banda está na lista porque Dave Grohl é um cara cheio de projetos paralelos, cheio de parcerias e cheio de opiniões. Por isso, cada dia mais, ele me faz buscar conhecer outros artistas também. Aliás, uma das coisas Dave fez e que eu mais aprecio foi o combo álbum + série Sonic Highways. Lá no Yellow eu até fiz um post explicando pq Sonic Highways é melhor do que parece.

Gostou das influências da Lari? Agora, você pode fazer o mesmo – bem comercial de banco hahaha. Se quiser compartilhar o seu gosto musical com a gente, seguindo a mesma linha deste post, só deixar nos comentários e conversar com a gente. 😉

Relacionados

40 clipes maranhenses lançados em 2016 que você pr... Três partes já foram - e vimos de tudo um pouco por aqui. Para nossa surpresa, muitos dos clipes listados neste especial passaram despercebidos por vários maranhenses - e muitos vieram nos elogiar pela compilação e por terem tido acesso à estes materiais (agradecemos de <3). Com essa lista, f...
7 motivos para colar no Festival BR 135/Conecta Mú... Quem me conhece sabe: sou encantada pelas formas de interação entre espaço público e comunidade. Defendo a ocupação de centros urbanos, bairros antigos, e espaços abandonados com arte e cultura. Tudo de maneira livre e gratuita. (Foto: Divulgação / Festival BR 135/Conecta Música) Bem, o Centr...
Aceite-C: Carol, música e reflexão Diante de tantas convenções, relações afetivas, profissionais e sociais; preconceito, hipocrisia e falta de educação, é cada vez mais difícil ver as pessoas agirem com naturalidade. Ser leve, de boa, livre – aquele lance de “seja você mesmo” é algo que está se tornando cada vez mais raro. Tenho a se...
O som que rola agora no Fusca 86 #1 Fala, galera de dentro da telinha do outro lado da galáxia, belê?! Antes de mais nada, eu sou o Pedro, o filho mais novo do Sobre o Tatame e venho cumprimentá-los com boas novas. Cai de um universo paralelo por meio de um chamado do Sakamoto para colaborar no blog com vídeos, a parte gráfica e algu...
  • Esse texto me fez lembrar várias bandas e momentos aos quais conheci elas e que simplesmente viciei nelas.

    Led Zeppelin me vicie pela forma de como eles combinavam os instrumentos, que chega ser absurda em algumas musicas.
    Quando conheci a historia e a discografia do AC/DC a era Bon Scott e a Brian Johnson, que são dois vocalistas fodas.
    E até hoje fico imaginando na genialidade do Alpha Blondy em colocar uma gaita de fole em I Wish You Were Here

    E vendo minhas influências musicais, vejo que elas são atreladas a vários momentos bacanas, e que tornaram meu gosto musical muito variado. ^^

  • Meu nome virou até tag no blog, olha só! haha 🙂 Antes de mais nada, achei super interessante pensar nessas 3 músicas/bandas que me fizeram gostar de música. Obrigada por trazer isso a mim e, claro, por trazer a mim e o Yellow pra cá também.

    No mais, sobre Nevermind, não vai me dizer que você acha o melhor álbum!!
    ps: em pior, lê-se “menos melhor” haha