SoT Entrevista – A magia na fotopoesia de Helemozão

A jovem fotógrafa Helen Salomão da Silva e Silva, de 21 anos, com formação em Arte e Tecnologia, transborda poesia através de suas lentes que registram empoderamento, feminismo, amor e muito mais. A baiana, natural de Salvador, nos concedeu a oportunidade de conhecer um pouco mais do seu trabalho fotográfico e trajetória pessoal.

Nas palavras da própria:

“Mulher, periférica, poetiza, entrando em buzu saindo de buzu, fotopoetizando no olhar e nas ideias. Mulher de andanças, de cabeça quente, mulher de fé, do asé, sou dias de sol quente, ou dias de nuvens, correria, recebendo mais do que deixando, buscando meu lugar ao sol sem pisar na cabeça de ninguém”.

Foto: DIvulgação
Foto: Divulgação

Minha mãe, mulher gorda, preta (de melanina acentuada) e pobre, sempre esteve a margem. Quando criança presenciei várias situações, que vai do preconceito/ discriminação que minha mãe sofria, até o espaço que residíamos, espaço esse tachado apenas como criminoso e sem cultura e gente de bem. Quando comecei a crescer e a entender quem eu era, no que eu acreditava, passei a me questionar quanto aos padrões corporais, da moda, da vida, e por ai vai… E é disso que falo nos meus projetos fotográficos, não consigo me ver falando de outra coisa, tenho a necessidade desconstruir esses corpos ditos “perfeitos”, preciso falar dos diversos corpos e tons da pele negra, precisava falava de periferia, preciso falar da minha realidade, e preciso ser caminho para que outras pessoas falem também.”

Foto: Helemozão

“Meus projetos fotopoéticos, desenhados com a luz ou escrito a mão falam da minha realidade, do meu cotidiano, da minha relação direta ou indireta com os espaços que percorro, falo das minhas ideologias, da minha militância. Busco através das minhas imagens e textos ajudar mulheres se libertarem dos padrões estabelecidos na sociedade, mostrar o empoderamento do homem e a mulher negra. E assim, vou eternizando momentos, me lendo no outro, me perdendo e me encontrando, quase um ‘autorretrato'”.

Helemozao_SoT
Foto: Helemozão

“Eu acredito que a fotografia, assim como a arte no geral, podem ajudar as pessoas, principalmente as que estão a margem e as opressoras. O Gorda Flor é um exemplo disso, recebi muitas mensagens de mulheres falando que amaram o projeto, que se sentiram representadas, e que através de minhas fotografias elas começaram a entender seus corpos e a se amarem mais”.

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

“Eu sou humana como todos, tenho meus momentos difíceis, de querer jogar tudo para cima, de pensar em desistir, porque, cá pra nós, eu quanto mulher, periférica e pobre querer viver de fotografia é loucura. Então os meus admiradores me ajudam muito a continuar, me dão muito apoio, me fazem acreditar que meu trabalho é de suma importância e que seria um egoísmo de minha parte desistir de uma coisa que não é minha e sim nossa“.

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

 

 

Agora vem com a gente conferir a poesia nas fotos!

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão
Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

Foto: Helemozão
Foto: Helemozão

 

helen_sobreotatame

 

Quem quiser pode ver mais do trabalho da Helen, é só seguir no Instagram, no Facebook, por meio de seu portfólio e, também, no seu Editorial Periferia. Vale muito a pena!

Além disso, a Helemozão está vendendo alguns retratos emoldurados na página do Facebook! Corre lá!

Relacionados

Série de fotos mostra a magia e a beleza da religi... O Brasil é uma República Federativa (a maior da América do Sul), e caracteriza-se como um dos países mais populosos do mundo, além de ser um dos mais multirraciais. Aproximadamente 45% da população (ou até 54%) é composta por afrodescendentes. Nas palavras de Favero "Pensar em Brasil é pensar em br...
O que Florentino Ariza nos ensina em “O Amor nos T... Considero livros e leituras algo muito pessoal. Leio uma pequena dezena de livros ao ano e normalmente converso sobre eles com pessoas específicas. Mas “O Amor nos Tempos do Cólera”, do meu insuperável e fantástico Gabo , precisa ser refletido de um jeito mais amplo. Isso porque além de órfã depois ...
Escolha uma vida em que sinta coisas que nunca sen... O que é a vida se não um projeto em eterna construção, com reiteradas lições e aprendizados da linha tênue de sentimentos e emoções inconstantes que ela nos presenteia para desbravarmos a fim de lapidar a nossa melhor versão? Já dizia Chaplin: “A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Po...
Festejo do Divino Espírito Santo: fotografias most... Mordoma em cortejo. Foto: Ingrid Barros A pomba branca. A Santa Coroa. Os Altares, a coroação de Imperadores/Imperatrizes. A distribuição de esmolas. Cantos, tambores, cores, doces e licores. O Festejo do Divino Espírito Santo, que ocorre na cidade histórica de Alcântara, é uma verdadeira resist...
  • Amanda Otnip

    Perfeita no que faz! Lindo de ver seu trabalho e dedicação, notado de longe que ama o que faz.
    O mundo é seu Helemozão! <3

    • Paloma Reis

      Muito lindo mesmo Amanda o trabalho dela, a equipe do Sobre o Tatame esta encantada e honrada de poder exibi-lo aqui! Abraços! Esperamos que você volte mais vezes no nosso espaço!