Pessoas que Inspiram #1: Dona Irene e 13 anos de Guaraná da Amazônia

Dona Irene tem um quiosque em que vende guaraná da amazônia e encara sua noite de trabalho com educação no atendimento e ganha sua clientela com atenção a preparar cada pedido. Mas, recentemente, depois de um papo de vinte minutos, descobri uma história de sabedoria e alegria com ela.

IRENE
Prazer, Dona Irene.

Foi na última quinta (17). enquanto ela preparava dois guaranás para viagem. Depois do pedido eu me sentei e, na barraca de pastel ao lado, estava passando mais uma das toneladas de reportagens sobre o escândalo político que assola o país e, entre um comentário ou outro sobre isso, ela comentou sobre ganhar dinheiro e como devemos nos portar com isso:

Se tu quer algo, trabalha pra isso! Sabe há quanto tempo eu tenho essa barraca aqui meu filho? Treze anos, há treze anos tiro meu sustento daqui e, quando a Blitz Urbana chega, eles me veem trabalhando na legalidade. Eles não mexem comigo e sabem que trabalho duro e sou honesta no que faço. E não adianta ficar resmungando, tem é que agradecer”.

Comento concordando, no entanto prefiro mais ouvir, do que interferir. Então ela continua seu momento misturando assunto como natureza, humildade e sabedoria:

O homem precisa se cuidar, a natureza tá morrendo. Sabe, a natureza está sofrendo, o homem precisa cuidar mais dela, ela é muito bondosa conosco. É um presente de Deus. O homem precisa ser mais humilde, humildade desde dar um bom dia, boa tarde ou noite, mas para isso precisamos ter uma boa educação e reconhecer o próximo como igual”.

Nesse meio tempo, dois moradores de rua se aproximam – o local é uma pequena praça numa rotatória e lar de duas dúzias de moradores de rua -. São usuários de drogas, grávidas e pessoas que se alimentam com ajuda de alguns grupos de apoio e a igreja católica em frente. Mas, acredite, todos eles respeitam a dona Irene. E aí um deles, logo após achar uma pequena caixa de isopor, solta:

Irene, podia te vender, mas essa caixinha é tua!”, e aí ela agradece e exclama para os rapazes: “Meninos, cuidado!

Em seguida, continuando a nossa conversa e os guaranás sendo embalados ela conclui:

É preciso olhar para todos com o mesmo zelo que se olha para a família. Que além de cuidar de quem se ama, tem que cuidar de quem não se conhece“.


Dona Irene é do interior do Maranhão, da cidade de Turiaçú e veio para São Luís, capital do Maranhão, com 13 anos de idade. Ela é mãe, irmã, amiga e companheira. Solteira e com seus 43 anos não tem filhos. A metáfora com a palavra “mãe” anteriormente citada, é pelo fato dela ajudar a irmã na criação das sobrinhas. Católica fervorosa, vende guaraná da amazônia há 13 anos no mesmo local no bairro da Cohab e é dona de um humor autêntico e acredita que só estar vivo é um presente e não economiza modos ao tratar bem as pessoas pois, para ela, é assim que o seu Deus age.


___________________________________________________________________________________________________________

Pessoas que Inspiram é um quadro que tem como objetivo contar histórias de pessoas do cotidiano, que tem uma história de vida e, as vezes, é esmagada com a avalanche de pré-conceitos, olhares, julgamentos, mas, que na verdade, esconde uma história de vida que pode se assemelhar com a minha ou com a sua. É um quadro que visa buscar empatia. Até porque, temos que respeitar cada pessoa que olhamos nas ruas.

Relacionados

João Almeida (O Pé de Feijão) e a arte de espalhar... Se você já andou pelas ruas de São Luís, capital do Maranhão, pode ter se deparado com boas intervenções nas paredes velhas de prédios e casas da cidade ou alguns elevados. A cidade respira um movimento de ocupar os espaços públicos e intervir com o objetivo da cidade dialogar com sua população e vi...
Sonhos, entrevista, Zeca Baleiro, TCC, Chile, Re-o... Abril foi puxado, mas tentamos manter o bonde andando. Caí doente, peguei Zyka e ela me deixou de cama como há tempos não ficava, fora isso, lesionei o pé e descobri dois dentes Sisos nascendo (que fase, amigos!). Não justificando, mas isso explica o fluxo por aqui, uma vez que edito todos os mater...
Amor de mãe, Rapper gay, nos aceite, Magra de Ruim... Maio foi de algumas boas novidades nos bastidores aqui do nosso espaço. Mais pessoas entraram para somar porque acreditam no nosso propósito e em breve darão as caras por aqui, mas você pode conhecê-los um pouco aqui na página de autores. Para o mês de maio trouxemos entrevistas, histórias de pes...
Dia da Mulher, cão viajante, ansiedade, empatia, O... Retomamos às atividades no mês de março, meio sem jeito, mas com vontade de escrever, compartilhar e informar. Para este primeiro mês, tivemos 21 posts, uma média de 4,2 conteúdos por semana. Uma média que considero FODA uma vez que não tenho como objetivo "vomitar" materiais com a ideia de manter t...